• Idosa é presa injustamente no lugar de traficante

    Uma idosa de 77 anos, identificada como Francisca Alves Feitosa dos Santos, foi presa injustamente após ter sido alvo de um erro judicial. O caso aconteceu na comunidade Aldeia do Odino, zona rural de Bacabal, no Maranhão.Segundo informações, a aposentada passou a noite do dia 27 defevereiro sentada em uma cadeira da delegacia e sem comida, após ter sido presa em cumprimento a um mandado de prisão definitiva pelo crime de tráfico de drogas, expedido pela Justiça do estado de Rondônia.

    Ao chegar na cadeia, a família de Francisca descobriu que o mandado dizia que a idosa teria conduzido um veículo que transportava drogas, em 2020, na cidade de Porto Velho. Porém, Francisca Alves não tem Carteira de Habilitação e nunca sequer viajou para Rondônia.Na manhã do dia 28, a idosa foi levada para o Presídio de Bacabal, de onde seria transferida para o sistema penitenciário de São Luís. Mas, antes da transferência, a Justiça reconheceu o erro e mandou a polícia soltar a aposentada. Ela entrou como alvo no mandado que deveria ser destinado a Diego Alves de Sousa, preso em 2020 em flagrante e condenado pela Justiça de Rondônia a cinco anos e dez meses de reclusão.A família da idosa alega ainda que além dos traumas emocionais devido ao susto e à prisão, uma sobrinha de 45 anos de Francisca morreu devido ao susto, ao receber a informação. Irene Feitosa teria sofrido um infarto e morreu no hospital após saber da prisão.
    Por meio de nota, a Justiça de Rondônia alegou que houve um erro material na informação de dados ao Banco Nacional de Mandados de Prisão, e que todas as providências administrativas com relação à apuração e responsabilidade do caso foram adotadas. Não há detalhes de como o nome da idosa teria ido parar no banco de dados.
    Ainda de acordo com informações, agora a aposentada vai entrar com uma ação contra o Estado por causa dos traumas que sofreu.

     

    Deixe uma resposta